A capela da Virgem de Fourvière

fourviereA colina de Fourvière é um lugar estratégico, tradicionalmente conhecido por sua localização oferecendo uma vista panorâmica e dominante das redondezas; é também um local carregado de história.

Testemunham-no, primeiramente, a chegada dos romanos, depois a dos primeiros cristãos, conduzida por São Potino e, mais tarde, por pessoas à procura de uma vida rural, do panorama da cidade e dos Alpes.

Fundação

Um primeiro santuário modesto em homenagem a Maria teria sido construído em meados do século XII, ligado aos cônegos da catedral Saint-Jean. O culto de Thomas Becket é junto com o de Maria.

Durante toda a Idade Média foi uma capela modesta.

Em 1476, Luís XI, rei da França, retornando de uma peregrinação a Puy (Haute-Loire), pelo caminho de Compostela pára em Fourvière. Sob seu pedido, o culto de Maria e de Thomas Becket se desenvolveriam.

Século XVII confirmação do santuário como local de peregrinação

Então, Fourvière entra de fato na história de Lyon por uma sucessão de votos:

l I638: voto da Caridade Geral dizendo respeito às crianças órfãs, crescidas no hospital, atingidas pelo escorbuto. Decidiu-se fazer uma peregrinação à capela de Fourvière para elas receberem a cura. As crianças foram curadas.

l I638: Luís XIII consagra o Reino da França à Virgem.

l I643: voto dos Escabinos de Lyon, concernindo a epidemia de peste ameaçando todos os lioneses, prometendo uma comemoração anual no dia 8 de setembro, e de fazer uma peregrinação à Virgem e doar 7 libras de velas e um escudo de ouro.

Século XVIII um santuário bastante frequentado

Fourvière se torna um lugar de peregrinação cada vez mais frequentado. A capela fica pequena demais e decide-se aumentá-la. A Revolução de 1789 esconde a vida do santuário. A capela se fecharia ao culto em 1801.

Em 1804, Cardeal Fesch pede ao Papa Pio VII, de passagem em Lyon, para reabrir solenemente o santuário ao culto e à peregrinação.

No século XIX, a vida religiosa se torna mais e mais intensa.

Em 1852, dia 8 de dezembro, uma nova imagem da Virgem é colocada, obra do escultor Fabisch. Grandes festas são planejadas e continuam até hoje a ser uma das glórias de Lyon.

Em 1870, começa a guerra franco-prussiana. Numerosos peregrinos imploram à Virgem para proteger a cidade. Promete-se construir uma igreja maior; após controvérsias, decide-se não aumentar a capela existente, mas construir uma grande basílica ao lado. É a atual Basílica de Notre-Dame de Fourvière, consagrada em 1896 pelo Cardeal Coullié, e elevada a basílica pelo Papa Leão XIII em 1897.

Com Paulina Jaricot

O senhor e a senhora Jaricot se encontraram fazendo uma Via-Sacra em direção à Capela de Fourvière. Paulina, com seus pais, irmãos e irmãs, como todos os lioneses “subiam” sempre a Fourvière. A devoção à Virgem havia uma grande importância na época.

plaqueAssim sendo, após sua conversão, Paulina pronunciou o voto de castidade na Capela de Fourvière na noite de Natal de 1816.

Em 1825, ela passa a morar em uma pequena casa situada ao lado da capela e, mais tarde, em Loreto, abaixo do santuário.

Em 1830, durante a revolta dos tecelões, Paulina passou três dias e três noites em oração em frente ao altar da Virgem na capela de Fourvière.

Preocupada com a reconciliação da cristandade, Paulina Jaricot institui uma oração semanal, aos sábados, na capela dedicada a São Tomás de Cantuária.

Uma placa é colocada na Capela de Fourvière em homenagem a Paulina Jaricot.

Hoje

A colina de Fourvière se tornou um lugar santo e turístico. O local é reputado e conhecido no mundo inteiro: por sua localidade que domina a cidade de Lyon e oferece um panorama particular sobre a cadeia dos Alpes e o Monte Branco; bem como as famosas iluminações do 8 de dezembro que atraem numerosos turistas franceses e estrangeiros.

Reforma

Há vários anos, várias reformas foram necessárias para a manutenção e segurança dos lugares.

Sublinhamos particularmente:

Em 2003, um raio atinge o campanário da capela da Virgem.

Em maio de 2008, a estátua da Virgem é descida do pedestal e colocada no adro: o pedestal é restaurado. A estátua foi colocada em seu lugar para a festa do dia 8 de dezembro de 2008.

Em 2007, a porta da capela foi aberta no adro, dando acesso direto à capela.

Em 2008, novamente, começa a reforma da capela de Saint-Thomas, que será reaberta ao público, como lugar de oração e de adoração ao SS. Sacramento todo o dia.

Vida do santuário

O santuário está aberto todo o dia; várias missas são celebradas cada dia; padres ficam à disposição dos visitantes e peregrinos para o sacramento da reconciliação ou outros serviços; um terço é meditado cada dia na capela da Virgem. Voluntários permanecem no local para dar informações, para visitas individuais ou em grupo, para acolher os peregrinos…

Dia 8 de setembro celebra-se solenemente a tradicional festa do voto dos Escabinos (epidemia de peste controlada em 1643) e a bênção da cidade de Lyon pelo cardeal.

merci_marieO dia 8 de dezembro, festa da Imaculada Conceição, é, em Lyon, a festa religiosa por excelência, testemunho de fervor. Uma procissão de velas sobe “a colina orante” do adro da catedral Saint-Jean até o topo, passando pela ilustre subida de Chazeaux, tão queria por Paulina. Neste dia, um terço é rezado na capela da Virgem, sem parar, por diferentes movimentos marianos, apostólicos ou outros grupos. Na cidade de Lyon, numerosas igrejas ficam abertas até meia noite, onde jovens acolhem propondo uma vela a ser colocada em uma estátua da Virgem com uma intenção de oração meditada no local.

Desde aproximadamente dez anos, durante quatro dias, a cidade de Lyon se ilumina para a alegria de todos os lioneses, grandes ou pequenos, e a dos visitantes mais e mais atraídos pelas famosas iluminações feitas com façanhas tecnológicas, sob o olhar de benevolência e ternura de MARIA, que domina a colina e seu santuário.